ícone fechar Fechar

Aumento dos lucros no sul

A mudança pode ser difícil, e pode ser especialmente difícil fazer uma troca após um longo período de trabalho com as mesmas máquinas e métodos. Para a Harrison Logging Inc., a Wade Byars Logging LLC e a Bar Forest Products LLC, a mudança foi necessária.

Essas empresas, todas sediadas e com operações no sul dos EUA, adaptaram-se aos cabeçotes processadores de toras curtas da Waratah e agora estão colhendo os benefícios das suas decisões.

Fazendo a mudança

Kevin Harrison, presidente da Harrison Logging Inc.
Kevin Harrison, presidente da Harrison Logging Inc.

Para Kevin Harrison, presidente da Harrison Logging em Grenada, Mississippi, foi uma decisão calculada, já que ele percebeu que as fábricas estavam se tornando mais rígidas quanto a qualidade da madeira. O pai e o avô de Harrison começaram o negócio no início dos anos 80.

"Gosto de evoluir com o tempo," diz Harrison. "Para mim, o processador é um sinal do futuro que está por vir, da mesma forma que as fábricas querem a madeira. Acredito que o cabeçote da Waratah é o futuro da exploração de madeira.

Wade Byars, cujo trabalho na Wade Byars Logging começou em 1992, já havia usado um módulo desgalhador, uma típica operação no sudeste. A empreca Carroll County, Mississippi, percebeu rapidamente a diferença ao comprar o HTH622B da Waratah, na Stribling Equipment. Eles gostaram tanto do cabeçote que também compraram um HTH623C, que agora é a principal máquina da empresa.

"A Waratah é a melhor da categoria, o Cadillac da indústria de processamento", comenta Byars. "Eu recomendaria a Waratah para qualquer pessoa."

Wade Rolison, dono da Bar Forest Products em Butler, Alabama, considerou a eficiência antes de adotar o processo com toras curtas. A empresa, que iniciou a produção de exploração de madeira em tempo integral em 2005 com um grupo e expandiu ao longo do tempo para sete equipes, comprou um HTH622B da Waratah.

"Buscávamos maneiras de tornar o nosso negócio madeireiro mais eficiente, não necessariamente mais produtivo, mas mais eficiente," explica Rolison. "Começamos a pesquisar diferentes processadores há cerca de um ano e meio, e nos aperfeiçoamos no cabeçote da Waratah. Nós só decidimos ficar com um 622B para nos tornarmos mais eficientes em nossos negócios e ver como ele nos ajudaria a gerenciar melhor os nossos sistemas de toras curtas."

Período de transição

Wade Rolison, proprietário da Bar Forest Products LLC
Wade Rolison, proprietário da Bar Forest Products LLC

A transição foi suave para as três empresas. Um membro da equipe de suporte da Waratah estava no local com a entrega de cada cabeçote para ajudar a calibrar as configurações da máquina e explicar seu uso adequado.

As empresas adoraram essa abordagem inovadora porque era diferente das suas experiências com outras máquinas que haviam comprado no passado.

"Quando recebemos o novo cabeçote 623, a equipe da Waratah veio e ajudou com a montagem. Eles se certificam de que tudo está certo, de que você se sente confortável com tudo," conta Byars.

Além de toda a configuração, Rolison também ficou impressionado com a confiança que a equipe da Waratah tinha em seus produtos.

"O vendedor garantiu que não falharia," acrescenta Rolison. "Isso ficou na minha cabeça, porque hoje em dia, significa muito para nós do setor de exploração de madeira quando alguém acredita em seu produto, porque estão dispostos a colocar seu produto à prova."

Rolison percebeu rapidamente esta confiabilidade e porque a equipe da Waratah acreditava nos seus cabeçotes de processamento e extração.

"O 622B é resistente," diz Rolison. "Não é mera propaganda, ele é resistente mesmo. Tivemos zero de tempo de inatividade com o cabeçote até agora. Eu costumava ver alguns concorrentes com algum tempo de inatividade, mas o 622 foi produzido de maneira resistente e confiável."

A manutenção simples e o tempo de atividade dos cabeçotes da Waratah também foram notados por Byars em seu trabalho.

"Eles são muito resistentes," comenta Byars. "Digo, eles desgalham muita madeira. Eles parecem complicados, mas não são. Eles são muito simples de manter e aceitam qualquer tipo de manutenção. Eles fazem o trabalho mais pesado sem demonstrar desgaste."

Harrison também ressalta a precisão do cabeçote da Waratah.

"O processador da Waratah ajuda a dimensionar cada caule da maneira certa," comenta Harrison. "Ele nivela os nós muito melhor do que um módulo desgalhador. Os skidders não precisam lidar com as copas. O que desperdiça menos madeira. Você simplesmente pega a madeira e envia para as fábricas. As fábricas gostam do processador."

Aproveitando os benefícios

Wade Byars and son, Klint Byars, Wade Byars Logging LLC
Wade Byars and son, Klint Byars, Wade Byars Logging LLC

Depois de se estabelecerem com os novos cabeçotes processadores de toras curtas, as empresas constataram os benefícios da função de toras curtas da Waratah rapidamente.

"Eu acho que a produção está mais estável, e a qualidade da madeira é a melhor que já vi, entregamos as madeiras às fábricas certas e ganhamos mais dinheiro de cada árvore, o que significa muito," conta Harrison. 

Byars conta que uma grande mudança melhorou a consistência na produção.

"A principal diferença que notamos entre a operação do módulo desgalhador e do processador é que o processador é mais consistente com a produção que precisamos oferecer no mercado atual," explica Byars. "Com o módulo desgalhador, conseguíamos ter uma produção de cima para baixo. O processador é mais do que uma produção diária consistente."

A empresa havia transportado cerca de 100 cargas durante diversos dias, mas agora ela consegue levar 106 cargas em apenas três dias e meio. Byars está satisfeito com sua decisão. O filho de Byars, Klint, que opera o HTH623C, concordou, ao perceber as sete a 10 cargas por dia.

"A maior diferença da Waratah é claramente a produção e depois a facilidade de classificar as espécies," conta Klint. "Essa é a maior diferença para mim, quando você pega o caule, já sabe qual é o diâmetro em vez de tentar adivinhar. Se eles querem uma copa de sete polegadas, eu entrego uma copa de sete polegadas."

Com o clima e outras variáveis ​​afetando a quantidade de dias úteis, bem como a indústria madeireira em evolução, um cabeçote confiável é de suma importância.

"Quando chegamos ao trabalho, espero estar no trabalho de fato," diz Harrison. "Por isso uso equipamentos mais novos e essa é uma das razões pelas quais optei pelo processador. Compramos muita madeira e tentamos extrair todo o valor monetário de cada pedaço de madeira que cortamos e processamos."



Voltar para Notícias e eventos